Entre pro time

Inter

Inter foi muito prejudicado, Rodinei também não se ajudou e Brasileirão foi colocado na mão do Flamengo

Publicado

em

Ricardo Duarte/Inter

Não tem como negar que o VAR foi protagonista. Não era pra expulsar o Rodinei. Todo mundo viu. Os próprios jogadores do Flamengo disseram isso. Na saída do campo, Dourado contou que o Felipe Luiz disse pro árbitro que viu que foi um lance onde o lateral adiantou a bola demais e acabou perdendo. Depois, o Diego passou pro Clauss que era um lance para amarelo. Ou seja, o cara teve a chance de fazer o certo e ainda assim errou. Sabe o que matou ele? A câmera lenta do VAR. Não tem como ver o lance sem o contexto do jogo, que era uma bola que escapou e o cara chegou atrasado.

Mesmo assim, quero pontuar duas coisas. Primeiro que aconteceu um erro de arbitragem, eu não entro nessa de a CBF quer o Flamengo campeão ou coisa assim. Até porque, não gostava quando insinuavam que o Inter era ajudado. Não quero agora. Não sem provas. Ai, fica leviano.

Segundo que o Rodinei poderia/deveria ter sido mais prudente. Era melhor perder aquela bola do que apostar como apostou. Não dá pra ir até o limite de onde é falta grave ou não. Tem que ser inteligente pra jogar. O Rodinei não foi.


Rodinei poderia ter sido mais inteligente no lance da expulsão – Ricardo Duarte/Inter

  • O Flamengo começa no ataque, o Inter marcou e pouco saiu. O gol acontece basicamente na primeira ida com mais força pro ataque. O Patrick rola pro Moisés, que cruza, o zagueiro deles puxa o Yuri Alberto e o pênalti foi bem marcado. Não tinha nem o que dizer ali.
  • Edenilson cobrou a penalidade com maestria. É impossível pegar aquela boa. A frieza que o Edi tá mostrando nestas cobranças é surreal. Irretocável. Seja no pênalti tenso do Gre-Nal, na vitória contra o Bragantino e agora no Maracanã. O Galhardo era o batedor oficial, mas ele tá sendo até melhor. Fora isso, ainda salvou uma bola que seria o terceiro gol do Flamengo. Correu demais, marcou demais, estava em todos lugares. Baita partida. Tanto que, aos 40 minutos, estava extenuado de dores na coxa.
  • Dourado precisa ser destacado. O primeiro tempo dele foi ridículo de tão absurdo. Limpou a área. Estava em todos os lugares. Não dá pra acreditar que esse cara ficou quase dois anos sem jogar. Muito menos dá pra acreditar que o Musto jogava ali até pouco tempo. No segundo tempo, só saiu porque estava morto de cansado. Foi o melhor de branco em campo.
  • Bom, o primeiro tempo termina com o Inter melhor. Tanto que o Rodinei acerta a trave do Hugo Souza. O lance só aconteceu porque o Inter começou a ter mais a bola nos minutos finais, atacou bastante com Caio Vidal e Edenilson trocando bolas. Ou seja, quando estava tudo igual em campo, o time do Abel estava melhor.
  • Só que tudo muda com a expulsão do Rodinei. Não tem nem como avaliar como os times voltaram porque foi logo no começo. Ali, mudou tudo. Bom, é óbvio que eu não concordo com a expulsão. Ela estragou o jogo. Foi um exagero. Existe o pisão, óbvio, mas ficou claro que era uma disputa de bola em que o cara chegou atrasado. Não tem como não dar a falta e até o amarelo, mas tem diferença quando chega atrasado ou é maldoso.
  • Dito isso, esse é o problema do Rodinei. Ele comete algumas falhas que poderiam ser evitadas se estivesse mais ligado. Não dá pra tirar a responsabilidade da entrada dele. Tinha que ser mais prudente. A pegada foi forte. E se fosse de um jogador do Flamengo todos estaríamos reclamando. O Rodinei, no mínimo, deu margem. Aliás, tava na cara que ele seria protagonista. Ou ia ganhar o jogo ou entregar. Não tinha meio termo.
  • Não dá pra esquecer que o gol de empate do Flamengo saiu nas costas do Rodinei. Bruno Henrique, que jogou uma barbaridade, passou como quis por ele e cruzou pra trás. Ali, já seria um erro importante na partida.

Edenilson foi o segundo melhor no Maracanã, só perdeu pro Dourado – Ricardo Duarte/Inter

  • E o segundo gol acontece até por uma inexperiência do Zé Gabriel. Ele olha a bola, fica olhando o lance, não viu o Gabigol passando nas costas. Um lance que poderia ser bem evitado se ele tivesse mais rodagem como zagueiro. Nem consigo culpar o cara. Além de pouco jogar, nem zagueiro ele era. O problema foi não ter a dupla de zaga titular numa decisão.
  • Patrick foi apagado no primeiro tempo e foi gigante na segunda etapa. O que ele cresceu no segundo tempo foi qualquer coisa de encher os olhos. Dá gosto ver ele penteando a bola, passando no meio de dois, dando um tapa na frente e indo buscar. Nem sempre o lance dá certo, mas é o que tenta o diferente.
  • O final de partida virou uma pelada. O Inter tentando de qualquer jeito, com chutão pra frente, e o Flamengo tentando contra-ataques. Não sei nem como eles não fizeram mais alguns porque tinham campo aberto pra isso.
  • Que jogo tenso.

Olha, eu não sou otimista. Pra mim, é quase impossível virar. Mas vou colocar o quase. Esse Brasileiro é muito louco, completamente diferente de todos outros. Um empate do Flamengo contra o São Paulo, aliado a uma vitória do Inter diante do Corinthians, dará o título pelo saldo de gols pro Colorado.

É isso que os jogadores terão que pensar até quinta-feira, mas não dá pra não dizer que o Flamengo tá com as duas mãos na taça, né?

Inter fez um baita jogo contra o Flamengo – Ricardo Duarte/Inter

Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque