Entre pro time

Inter

Um jogo maluco no Beira-Rio

Publicado

em

Ricardo Duarte/Inter

  • Pra quem gosta de emoção, foi um espetáculo a parte. Seja pelos muitos gols, pelas polêmicas de arbitragem e até pela pancadaria maluca no final. É daquelas partidas pra não tirar os olhos em nenhum momento.
  • O problema é que o Inter deu espetáculo no primeiro tempo e entregou a partida, com um a mais, no segundo. Não consigo ver injustiça no placar. O Botafogo fez por merecer o placar.
  • Pra mim, tem um nome que explica tudo isso: Alan Patrick. Com ele, a vitória estava acontecendo com naturalidade. Foi sair, com dores musculares, que o time afundou. Taison não fez nem 30% das suas jogadas.
  • O jogo praticamente começa 1 x 0 e com um colorado a mais em campo. Com minutos, Alan Patrick cava um pênalti e, consequentemente, a expulsão do zagueiro deles. Pênalti marcado após o juiz ser chamado VAR. E foi um lance bem controverso. Edenilson não tem nada a ver com isso, fez o gol.
  • Depois, Alan Patrick pifa o Bustos, que invade a área e bate cruzado. Mais uma vez o Alan decidiu. Deu uma pifada maravilhosa. Duas jogadas do jogador em melhor momento no clube e dois gols.
  • Com 45 minutos, Edenilson puxou um contra-ataque, finalizou na pequena área, mas o Gatito pegou. Depois, o David perdeu o rebote. Primeira grande chance perdida.

Ricardo Duarte/Inter

  • O segundo sem Alan Patrick e Wanderson foi o desastre. Ambos sentiram a musculatura. Taison entrou na do Alan e tentou armar o time. Tentou. Não conseguiu. Ficou claríssimo o problema no meio com ele. Taison não chegou nem perto das boas articulações no meio. Teve um lance que o Mano chamou o Taison e deixou nítido que ele não estava ajudando.
  • Todos viam que o segundo tempo era do time carioca. Até o Mano. Ele já tinha chamado o Pedro Henrique, quando vem o empate deles. De novo na bola parada. Um escanteio que todo mundo vai no primeiro poste e esquece o segundo. O Bota empata com um a menos.
  • Aos 18, logo após duas trocas do Mano, Edenilson erra uma saída e o Daniel teve que salvar, de novo, cara a cara com o Erison, do Bota. Sim, eles com um a menos e dando calor. E foi a segunda defesa incrível do Daniel. No primeiro tempo, também tinha salvado.
  • Pedro Henrique perdeu um gol na cara do Gatito. Num dos poucos bons momentos do Taison, abriu para o Bustos e, na pequena área, Pedro não consegue fazer o gol. Teve o gol perdido pelo atacante, mas tem o mérito do goleiro. Que baita defesa. Porém, foi a segunda grande chance perdida.
  • Pouco depois, o mesmo Pedro Henrique, consegue cruzar pro Alemão se jogar na bola e quase marcar. Ele explode a bola no travessão. Boa jogada dele. Terceira chance desperdiçada.
  • Mercado faz um golaço de cabeça. Explodiu o Beira-Rio. Parecia a redenção, mesmo que os erros claros na atuação. E essa partida foi tão fora da curva que seria melhor nem ter feito esse gol. Afinal, ele foi anulado. E, depois da anulação, time e torcida desabaram. Mesmo com mais alguns minutos pra jogar, não tinha mais Inter em campo ali. Eles desabaram emocionalmente.
  • Por incrível que pareça, essa queda fez os caras conseguirem um 3 x 2 no contra-ataque. O Inter foi todo pra cima e, de novo, ficaram cara a cara com o Daniel. E ele ainda defende a primeira tentativa, conseguiu na segunda. Vitória difícil de acreditar na virada do intervalo.
  • Daniel defendeu três vezes sozinho com o atacante adversário. E, por mais maluco que seja, ouviu a torcida cantar em coro que ele é fanqueiro. Difícil entender.
  • Pra fechar, ainda teve confusão, paulera, expulsão do Mercado, Lucas Piazon, do Botafogo, provoco, a confusão foi gigante e ele terminou deslocando o ombro. Que coisa mais maluca o que vimos.
  • A derrota custou o G4 para o time do Mano. Caíram para a quinta colocação e podem terminar em sexto. Ficou bem cara essa conta.

Ricardo Duarte/Inter

Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque