Entre pro time

Inter

Rodrigo Caetano contou detalhes de como foi a decisão de tirar Bruno Fuchs do jogo contra o Flu

Publicado

em

Reprodução

Neste domingo, durante a partida contra o Fluminense, os advogados do Inter e do CSKA estavam confeccionando os contratos para que Bruno Fuchs pudesse assinar e ser oficializado como jogador do time russo.

A concretização da proposta que o Inter exigia para fazer o negócio chegou no domingo mesmo, por volta do meio dia, e, por isso, a negociação acabou sendo finalizada lá no Rio de Janeiro.

Na sua coletiva, Rodrigo Caetano contou que eles conversaram com o jogador e tomaram a decisão que o melhor seria ele ficar de fora da partida pensando justamente no exemplo dele, Rodrigo Caetano, que estava vendido para um time da Espanha, mas seguiu jogando e teve uma lesão grave que impediu seu negócio.


O dirigente também foi claro ao dizer que não vai mais contratar zagueiros porque tá bem servido pro setor. O Lucas Ribeiro e o Matheus Jussá vieram recentemente. Então, zagueiros não vão ser contratos.

Pelo contrário, Rodrigo Caetano é categórico ao explicar que a necessidade de vender outros jogadores segue. Ele não tem como cravar que vai vender mais alguém, mas o orçamento obriga a negociar mais jogadores.

Pra quem não sabe, a previsão no orçamento é conseguir R$ 95 milhões em vendas de atletas. Ainda tem um bom caminho para conseguir.

O executivo também garantiu que, no momento, a única negociação que está em andamento é a do Bruno Fuchs com o CSKA. Não há conversa ou até proposta por outro jogador sendo debatida no momento.

Bruno Fuchs foi vendido por 8 milhões de euros e mais bônus de 1,5 milhão de euros – Ricardo Duarte/Inter

Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque