Entre pro time

Inter

Inter teve um grande culpado, merecia ter sofrido mais e vai voltar com cenas deprimentes da Venezuela

Publicado

em

Ricardo Duarte/Inter

  • Miguel Ángel Ramírez deve ser muito cobrado pelo que aconteceu nesta noite na Venezuela. O Inter perdeu para um time muito fraco. E a derrota foi mais que merecida. Sequer o empate seria justo. O Táchira foi muito superior. Sim, é isso mesmo, os caras foram melhores, bem melhores. Poderiam ter feito até mais. Um 3 x 1 seria o mais adequado futebolisticamente falando.
  • Miguel mudou o time novamente. Ele sempre fará isso, vai sempre mudar o time conforme o adversário. Desta vez, insistiu em Marcos Guilherme na ponta-direita, apostou na volta do Saravia na ala e no Nonanto na vaga do Edenilson, no meio. Esse é o risco de apostar todo jogo em um time diferente, quando encaixa, maravilha, mas se não acontece isso, tu perde pro campeão venezuelano.
  • Porém, adivinhe, Marcos Guilherme de novo não conseguiu jogar. Poxa, está na cara que não é esse o plano de recuperação dele. Isso só vai queimá-lo. O cara tem que ser colocado em jogos ganhos, pra entrar e ir fazendo gol, dando assistência. Entrar no jogo como titular é apostar numa roleta russa. Neste ponto, a experiência pesa contra o Ramírez. Ele não tem a manha de recuperar jogadores em baixa. Tá claro isso.
  • Taison não foi nem sombra do meia que estreou com a camisa colorada. Nem perto disso. Se aqui, foi um meia que organizou o time, distribuiu assistências, lá, ficou preso em uma faixa de campo, não conseguia sequer puxar contra-ataques.
  • Nonato deu bons passes, tentou jogar, só que não é nem sombra do que o Edenilson representa para o time. Não tem menor fundamento deixar o Edenilson de fora de um jogo de Libertadores. Ainda mais que domingo é Gauchão. Erro grande do treinador também.
  • A única coisa que representa um avanço é apostar em Galhardo e Yuri Alberto. Todo mundo tá vendo que precisam jogar. Só não pode deixar o Yuri de ponta, né? O Yuri começou na ponta-esquerda e depois foi pra direita. Ai é difícil.

 

Marcos Guilherme mais uma vez foi titular e não conseguiu desempenhar – Ricardo Duarte/Inter

  • A real é que o gol do Inter só aconteceu por uma infantilidade do zagueiro deles e pela malandragem do Cuesta. Primeiro porque o cara puxa o Cuesta sem motivo algum, não tinha nem bola em disputa. Segundo que o Cuesta foi malandro e valorizou, ele se abaixa pra camisa sair e impactar a arbitragem. O pênalti aconteceu, ninguém discute que não pode puxar a camisa, mas a cena foi mais impactante do que de fato ocorreu.
  • Porém, percebam que não foi uma jogada muito trabalhada, sequer uma pressão. Foi um pênalti pouco inteligente dos caras. Vale igual para o placar, mas é um alerta que a atuação não estava legal.
  • O gol de empate aconteceu até com atraso. Eles mereciam esse gol há muito tempo. A jogada acontece pela ponta direita de ataque, o cara dribla o Moisés até com certa facilidade, cruza pro centro da grande área, e ai o Zé Gabriel atua como centroavante do time venezuelano. Na tentativa de cortar, ele estica a perna, mas dá um passe pra trás, no pé do jogador do Tachira. Ai foi só escolher o canto.
  • Não tem como aceitar tu estar empatando e a troca ser Rodrigo Lindoso no time. Em nenhum lugar do mundo dá pra entender isso. Se tu tá perdendo pra um time fraco, mesmo que tenha que tirar o Dourado, tu coloca um meia, um atacante e vai pro abafa. Veja bem, não estou pedindo pra empilhar atacantes, tem que ser organizado, mas tu tens que ir recuperar o resultado. Não é aceitável trocar um volante por outro deste jeito. Mais um erro gigante do Miguel.
  • A virada foi mais do que justa. O Inter, mesmo empatando, simplesmente não atacava, não metia pressão, não ia pra cima. O Táchira parecia o time grande e o Inter o pequeno, que estava feliz com o empate. Então, Edenilson e Lomba facilitam a vida. O Edenilson faz uma proteção falha, o Lomba tenta ir de encontro na bola e comete pênalti. Uma bola que estava dominada. Que baita atrapalho.
  • Sejamos justos, é deprimente ver o Lomba fazer cera porque o time tá tomando pressão do Táchira. Não existe isso. O goleiro ter que fazer onda, pedir atendimento médico por conta disso. Por favor. Que coisa lamentável.
  • O Táchira mereceu demais a vitória. O Inter precisa é parar de ser uma montanha russa, que joga muito bem uma partida e não se encontra na outra. Qual o motivo disso? Mudar tanto a escalação de um jogo pro outro.

Taison não foi nem perto do meia da estreia contra o Olimpia – Ricardo Duarte/Inter


Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque