Entre pro time

Inter

Entenda porque a direção do Inter diz que vai terminar 2019 no negativo!

Publicado

em

Ricardo Duarte/Inter

Ainda em São Paulo, antes de pegar o Corinthians, o presidente Marcelo Medeiros informou que o Inter deve terminar 2019 com R$ 10 milhões no negativo.

Sim, a expectativa da direção, que projetava terminar com os mesmos R$ 10 milhões, só que no positivo, ou seja, sobrando algum dinheiro, não se concretizou?

Mas e por que isso não aconteceu? Fiz a análise de alguns dados, divulgados pelo próprio clube para entender.


Primeiro que essa foi a verba extraordinária que o Inter ganhou tanto nas Copas como na venda do Iago:

  • Prêmios Libertadores: R$ 22 milhões
  • Prêmios da Copa do Brasil: R$ 33 milhões
  • Venda do Iago: R$ 21,6 milhões (5 milhões de euros)

O problema está que, apenas de janeiro até setembro, o Inter pagou incríveis R$ 58,5 milhões em empréstimos bancários.

Sim, é como se grande parte do dinheiro recebido da Libertadores, Copa do Brasil e até da venda de um titular fossem direto para o banco. Pra pagar empréstimos feitos nas temporadas passadas.

Fora isso, o custo do departamento de futebol também está bem relevante. Por mês, o clube tem que investir R$ 15,8 milhões para manter o elenco.

Isso inclui salários, direitos de imagem e até impostos que é preciso pagar pra todos que trabalham no futebol. Até Rodrigo Caetano, dirigente, tá incluído nesta conta. Todos do time A e do B.

Aqui um documento oficial do Inter mostrando o gasto mensal do futebol

Grande parte do endividamento colorado é justamente com o governo e isso não é nenhum problema. Dos quase R$ 160 milhões em dívidas fiscais, o governo baixou para R$ 108 milhões e as últimas parcelas mensais estavam em R$ 241 mil apenas. Quase nada para um clube de futebol.

O time B também não é um grande peso. Estima-se que o investimento na equipe B seja de R$ 3,6 milhões em toda a temporada 2019. O que dá, em média, uns R$ 300 mil de folha dos boleiros ali.

O investimento na base também não parece ser o que tá pesando. Afinal, o orçamento previu “apenas” R$ 17 milhões para a base em todo o ano. O que até é um valor relevante, mas é pouco mais de um mês do custo do time principal e bem distante da grana enviada para o banco.

Traduzindo, o que tá apertando o Inter de grana, neste ano, são os empréstimos bancários e o custo do elenco principal do clube.

Facebook Comments

Setorista da dupla Gre-Nal. Torcedor do Tottenham e do Real Madrid. Fã de futebol inglês.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque