Entre pro time

Inter

Empate contra o Always Ready indica que o Inter vai demorar pra acontecer

Publicado

em


  • Analise do empate contra o Always Ready começa com uma frase: tinha que vencer. Ponto, essa frase resume tudo. Não há absolutamente nenhuma justificativa que explique não ter vencido. Ok, mas é um projeto, é uma transição. Não, pera ai, contra o Always é preciso conquistar a vitória. Depois a gente debate o resto, o jeito de jogar, enfim. Mas penso que qualquer análise passa pela vitória.
  • Miguel claramente mudou o time, apostou em um 3-5-2, com Lindoso de zagueiro, Taison virou camisa 10 centralizado e Palacios segundo atacante, ao lado do Galhardo. Só que isso mudou durante a partida. Como não dava certo, Taison foi para uma ponta, Palacios pra outra e virou um 4-3-3 de novo. Porém, a real é que com nenhum esquema o Inter fez gol.
  • Penso ser extremamente injusto colocar a culpa só nos jogadores. Afinal, me parece claro que os caras estão tentando, querem jogar nessa nova forma, tentam fazer sua parte. É que é algo totalmente novo mesmo. Não tem como achar que alguém faz a mesma coisa por 10 anos e vai começar a jogar de outra forma do nada. É só a gente prestar atenção nos jogadores que voltam da Europa e custam a adaptar. Imagina que agora é um elenco todo assim.
  • Esse jogo mostrou que ainda não acontece o que Miguel tanto quer, que é criar facilidades pra bola chegar em ótimas condições no ataque para alguém fazer gol. É só olhar que as chances foram de chutes de fora do Saravia ou Taison e até mesmo cruzamentos onde alguém aparece na pequena área. Ainda tá longe de um time que cria situação de gol mesmo. A única foi a do Galhardo, que cabeceou estranho e ela foi pra fora.
  • Aliás, quem teve foi o atacante dos caras. E, mais uma vez, Lomba salvou. Seria muito feio perder em casa pra um time destes. Que tomou sete do Tachira. Mas a real é que o ponto fraco do Inter é bem claro: o time se manda pro ataque e vai levar bola nas costas sempre.
  • Confesso que fico até incomodado de avaliar os jogadores individualmente. Gente, é o Always Ready, tem que vencer independente da forma que for atuar. Não tem como usar desculpa a mudança de jogo.
  • Só que claramente não é falta de vontade ou falta de talento. A mudança é tão abrupta que faz isso. E ai deixo claro que nem é uma critica ao projeto todo de tenta jogar de uma forma mais ofensiva ou até seguindo uma tendência de jogo lá de fora. O clube se dispôs a essa mudança e o único jeito de saber se vai dar certo é colocar pra jogar e pagar pra ver.

Guerrero entrou no final da partida e mostra estar recuperado – Ricardo Duarte/Inter

Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque