Entre pro time

Grêmio

Uma novidade sobre a compra da Arena pelo Grêmio

Publicado

em

Lucas Uebel/Grêmio

A direção do Grêmio já admite: hoje, no modelo atual que está se mantendo, não faz tanta diferença ter a gestão da Arena.

Isso não quer dizer que o clube não gostaria de controlar o seu estádio. Apenas que essa receita não é mais fundamental como já se imaginou no começo.

No primeiro momento foi complicado entender todas as mudanças, perder a bilheteria, os ganhos com placas de publicidade. Isso para o fluxo de caixa foi ruim. Afinal, não tinha dinheiro circulando toda semana.

Mas a diretoria foi inteligente e o presidente Romildo conseguiu melhorar receitas de TV, do quadro social e da GrêmioMania, por exemplo.

Aliás, a GrêmioMania faturou 22 milhões brutos no ano passado e tem previsão de faturamento na casa dos R$ 25 milhões brutos neste ano.

Soma-se a isso o fato da Arena ter um custo elevado. Calculá-se que para manter tudo funcionando (água, luz, telefone, a tia do cafezinho…) dá em torno de R$ 900 mil mês.

Além de precisar de um investimento que varia de R$ 120 mil a R$ 400 mil a cada partida, com seguranças, profissionais, enfim, tudo que envolve o jogo.

Por fim, ainda ouvi recentemente do Eduardo Antonini, ex-vice do Grêmio e grande idealizador da Arena, que uma estratégia interessante seria esperar mais dois anos para assumir a gestão.

Motivo?

É quando encerra o financiamento na casa de R$ 250 milhões feito com três bancos.

Seguramente aí sobrará bem mais dinheiro em caixa.

A versão oficial do presidente Romildo é que está tudo parado porque, entre outras coisas, as obras do entorno precisam ser finalizadas e não há quem assuma isso.

Só que, repito, a compra da Arena já não é mais uma urgência para os cofres do Grêmio como já foi anteriormente.

Setorista da dupla Gre-Nal. Torcedor do Tottenham e do Real Madrid. Fã de futebol inglês.

14 comentários

14 Comments

  1. Alfredo Carlet

    9 de Maio de 2018 at 14:02

    Arena é do Grêmio. Todas as receitas, inclusive bilheteria, são 65% do Grêmio e 30 % da parceira. Já no colorado as receitas de shows, publicidade, camarotes, estacionamento, lojas são 100% da AG.

  2. Guilherme

    9 de Maio de 2018 at 01:28

    JB. A operação da arena não foi adquirida devido a recuperação financeira da OAS.

    Ainda, a média de público está bem alta atingindo os custos de abertura.

    O Grêmio pode não querer comprar. Mas a OAS não demonstra interesse de vender neste momento.

  3. Alexandre

    8 de Maio de 2018 at 19:22

    Jb me diga como ficou a situação do olímpico? Vão entregar? O.imovel com o tempo ate valoriza pelo terreno

  4. Luiz Paulo Betiol - LONDRINA/PR.

    8 de Maio de 2018 at 18:56

    GOSTEI, TINHA MANDADO UM EMAIL SOLICITANDO MATÉRIA SOBRE A ARENA, PRINCIPALMENTE O ENTORNO QUE DEIXARAM DE FAZER AS OBRAS PREJUDICANDO AS PESSOAS. FAVOR SEMPRE QUE TIVER ALGUMA NOTICIA FAVOR ATUALIZAR. ABRAÇOS.

  5. Alipio Becker do Tewald

    8 de Maio de 2018 at 17:11

    Aqui no tewald temos diversas Arenas, todas com custo baixo.. o que complica é a piazada que pula a cerca e joga nas goleiras e o pessoal da copa que trocou a brahma pela skin. Resto é auto-suficiente

  6. vinicius barbat petzold

    8 de Maio de 2018 at 16:58

    JB tem como explicar mais detalhadamente essas despesas mensais da Arena e esse financiamento ?
    Abraço e parabens pelo site

    • João Batista Filho

      8 de Maio de 2018 at 17:59

      Pior que não tenho um detalhamento.
      Apenas sei que o Grêmio fez uma pesquisa e chegou nesta valor de R$ 900 mil mensais.
      É que tem todo o administrativo que funciona lá.
      E os jogos é aquilo que todo mundo já imagina.

      • Ge

        9 de Maio de 2018 at 08:42

        Tira a tia do cafezinho e põe uma máquina no lugar. O custo com pessoal cai e a Arena passa a ter um custo mensal de R$ 898 mil. O aluguel da máquina do café custa R$ 2 mil mil. Mas isso não é relevante. Depois põe um garçom para levar o café para a diretoria. Mais uns R$ 3 mil.

        • MT

          9 de Maio de 2018 at 08:45

          O importante é que o custo baixe para R$ 898 mil.

          A tia do cafezinho é que está colocando a previdência do Brasil na bancarrota.

          • Ricardo - DF

            9 de Maio de 2018 at 12:01

            Kkkk, boa

  7. Traks

    8 de Maio de 2018 at 16:18

    Quem entendeu o acordo feito, sabia disso desde o começo.

  8. Cubanajara

    8 de Maio de 2018 at 16:07

    Romildo da massa neles…

  9. Luanel Messi

    8 de Maio de 2018 at 15:42

    Mas o Vicente Martins vivia falando que um dos principais pontos na mudança do Olímpico para a operação Arena seria o baixo custo de manutenção……………………….

    • mbm

      9 de Maio de 2018 at 12:20

      O olimpico estava em 2 milhões/mês…

      Ainda estão economizando!!! kkkkkkk

O que você está pensando sobre isso?

Destaque