Entre pro time

Grêmio

Aconteceu um passo gigantesco para a compra da gestão da Arena

Publicado

em


Nos últimos dias aconteceu uma audiência para chegar a um acordo sobre as obras no entorno da Arena, que travam toda a negociação para a compra da gestão do estádio.

Nesta audiência, a Karagounis, empresa que ficou com a área do Olímpico, alinhou um contrato onde se responsabiliza por realizar as melhorias.

Tais melhorias foram reduzidas do plano original, mas ainda assim são bem importantes. Antes, o valor era maior, passava de R$ 100 milhões. Hoje, a empresa deve fazer:


  • Duplicação da avenida AJ Renner
  • Reformas nas paradas de ônibus do bairro
  • construção de uma ciclovia
  • Melhorias na rede de esgoto

Coisas como o Shopping e o hotel que estavam previstos no projeto original da Arena foram retirados.

É meio que uma tentativa de agilizar os processos todos.

Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Agora, a Karagounis, que é uma empresa que tem 80% das suas ações na Caixa, precisa de 90 dias para apresentar a proposta para o seu conselho de gestão.

Eles devem aprovar a minuta e ai sim tudo será assinado.

Assinando este termo em até três meses, o caminho do Grêmio está aberto para comprar a gestão.

Um financiamento já foi alinhavado para isso. Resta, basicamente, só resolver o entorno. Que, pelo jeito, em noventa dias tá resolvido.

Vale lembrar que a Karagounis está com os prédios ao redor da Arena e toda a área do Olímpico travada por conta disso.

É por isso que eles estão correndo.

Leia também:

Grêmio ganhou moral “pesada” na festa do Corinthians

Jardel contou como ajudou Cristiano Ronaldo


12 comentários

12 Comments

  1. Rei de Copas / Maior do Sul / Tricampeão da América / 7 títulos nacionais

    22 de abril de 2019 at 22:31

    150 milhões por uma Arena nova? E o “time grande não cai” deve 350 milhões por um remendo?

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Traks

    22 de abril de 2019 at 17:24

    Você possui a escalação do Rosário nos últimos jogos pela Copa Argentina? Te pergunto pq foi noticiado aos quatro ventos que o Grêmio enfrentaria os reservas do Rosário, seria interessante algum JORNALISTA comparar as escalações e ver se eles estavam com reservas ou se o novo treinador tem utilizado uma base de time diferente, visto que o time antigo não vinha alcançando os resultados necessários. É muito trabalho ou é viável?

  3. Campeão Mundial e Tricampeão da América

    22 de abril de 2019 at 15:26

    Eu já disse, o torcedor colorado não tem mais onde se agarrar. Depois da queda (esperneando) para a Série B e do reconhecimento oficial da FIFA sobre os Mundiais, a única coisa que sobrou para os corinthianos do sul foi 25 Grenais de Gauchão e Citadino da década de 40.

  4. Seu Barriga

    22 de abril de 2019 at 14:53

    Então mudará de dono …Será o banco agora …
    Ao invés de “pague o aluguel”, será “pague o carnê” hahahahaha

    • Carlos

      22 de abril de 2019 at 15:09

      Sabe tudo o amigo colorado kkkkkkk..
      a Karagounis vai ficar com o Olímpico e os apartamentos ao lado da Arena e NÃO a Arena. Burrão !

      Vamos ler a perola do amigo, imaginar a cara dele e rir, só resta isso.

      • alessandro

        22 de abril de 2019 at 16:29

        É SER MUITO BURRO NÉ?
        como se o inter não pagasse nada para a AG. O cara tem que ser muito anta para não conceber coisas simples assim.

    • Andre

      22 de abril de 2019 at 17:58

      Em nenhum momento o Grêmio “paga o aluguel”. O Grêmio é dono da Arena (o prédio), mas não da operação. Há um financiamento de 20 (ou 30, não lembro agora) anos onde o clube paga um abatimento do custo dos sócios. Findado o prazo, o Grêmio se torna o gestor da operação – que é o que está sendo negociado, não a construção em si.

      O Internacional tem um modelo parecido com a AG, onde a empresa sim é dona de parte das cadeiras, estacionamento e outros setores premium do Beira-Rio. Também há um prazo desses, de anos, para que a totalidade do estádio seja do Internacional.

      Entendo a tentativa de chacota, mas são novos modelos de negócios que viabilizaram as reformas e construções das novas arenas esportivas. Não existe mais “o clube vai levantar o próprio estádio”. Isso, no cenário econômico atual do país e do futebol é impensável e foram buscadas outras alternativas.

      No fim, essas piadas de “pague o aluguel”, “estádio da OAS” e afins servem apenas para nos ajudar a identificar aqueles que ou não evoluíram ou fazem questão de se manter ignorantes ao assunto.

      • Anônimo

        22 de abril de 2019 at 22:06

        Parabéns pelo lúcido comentário, no meio do baixo nível que geralmente povoa os comentários, principalmente com “cornetas” de péssimo nível.

      • Barça do Gudjohnsen

        22 de abril de 2019 at 22:09

        Nem perde tempo…não é ignorância…é safadeza…esperar o quê do clube do calote, do apito e do doping??

Comenta ai o que achou

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque