Entre pro time

Grêmio

A verdadeira posição do Campaz e a conversa no hotel que escalou o Jhonata Robert

Publicado

em

Reprodução

Resumo da coletiva do técnico Vágner Mancini após o jogo contra o Bragantino:

  • Tem que começar a fazer jogos em sequência. E, hoje, após essa partida, a torcida e a imprensa viram uma equipe que tem condições de fazer isso, de vencer jogos em sequência.
  • Já estava confiante, mas diante do que viu no campo, ficou ainda mais confiante. Há bastante tempo estava falando que o time vai acertar.
  • Muita gente imaginou que o Campaz fosse meia pela esquerda, mas vê ele como segundo homem de ataque. Vê ele atuando pelos lados do campo.
  • Gosta que ele tem o apetite pelo gol. Após a partida, estava se lamentando de um lance, ainda no primeiro tempo, lance em que passou, mas deveria ter chutado. Isso agrada ao treinador. Fez sua melhor partida pelo Grêmio, inclusive atuando sem a bola.
  • O Grêmio fez uma partida plástica, que chamou atenção, mas taticamente foi ainda melhor, beirou a perfeição, segundo ele. Conseguiu fazer pressão alta quase que o jogo inteiro. Só não fez essa pressão no começo do segundo tempo. De resto, marcou alto o tempo inteiro.
  • Está tentando rodar o elenco até com os que não jogam e são chamados para a concentração. Foi o caso agora com o Darlan, que ficou de fora pro Bobsin concentrar. Citou que o Sarará não estava concentrando e virou titular do time. Isso é fruto do dia a dia, do que vem observando. Pensa que fazer isso lhe deu 18 atletas em condições e não apenas 11 titulares.
  • Jhonata Robert ficou sabendo que iria jogar duas horas antes do jogo. Não conseguiu fazer o treino tático na véspera e segurou a escalação porque queria pensar, encontrar uma maneira do Grêmio não ser previsível.
  • Quando sentou com a equipe pra analisar o que poderia fazer, escolheu o Jhonata porque ele tem todas as qualidades que um atacante tem que ter. Ele arrasta, tem um contra um, bate bem na bola.
  • Revelou que chamou o Jhonata e alguns atletas do elenco pro seu quarto na concentração horas antes da partida. Ali, passou qual seria a escalação desta noite e, quando todos souberam, esses atletas estiveram quase em tempo integral ao lado dele, para apoiá-lo. Pensa que é importante esse apoio.
  • Reviu os últimos jogos e achou que o Grêmio estava previsível demais nas últimas partidas. Até poderia colocar um terceiro volante, mas por ser dentro de casa, ficaria com um peso excessivo. Por isso, usou o Jhonata. Pensa que ele e Campaz deram vida ao time.
  • Com o jogo de hoje, Jhonata mostrou que é mais uma peça importante.
  • Muita gente pode não ter percebido, mas teve variação tática na equipe. Formou-se um quadrado no meio, com dois volantes e dois meias. Teve momentos em 4-3-3, 4-2-3-1 e até 4-4-2, com o Campaz adiantado de atacante.
  • Kannemann, de certa forma, intimida. Quando os outros atletas olham pra Geromel e Kannemann, há um respeito. Isso tem um peso muito grande. Tanto que ficou assustado quando ouviu do Kannemann que ele não tinha condições de jogar contra o América.
Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque