Entre pro time

Inter

Ramírez dá sua versão do porque o Inter não jogou bem, quer Guerrero e aprova Moisés

Publicado

em

Reprodução

Resumo da entrevista do técnico Miguel Ángel Ramírez:

  • Neste tipo de gramado, é muito difícil jogar como eles quer jogar. Os passes não saem rápido, os controles de bola no primeiro toque não acontecem, os cruzamentos são difíceis porque a bola não para, os chutes de primeira de Maurício, de Palacios, também fica muito complicado.
  • O gol deles chegou num momento onde o Inter tinha mais controle, foi um erro pontual. O time estava bem, estava conquistando espaços mais perto da área rival.
  • Pelo tempo de trabalho que tem, não vê um problema em perder por 1 x 0, fora de casa, contra duas equipes de Série A. (Grêmio e Juventude). Sabendo que poderia ter ganhado porque nos dois casos o resultado mais justo era o empate, na sua visão.
  • Ainda não sabe como Patrick estará na próxima partida. Não sabe se vai poder jogar, mas ainda não pode descartá-lo.
  • Taison está com mais dias de trabalho, cada dia está com mais ritmo e a cada dia entendendo melhor o que seu jeito de jogar pede.
  • Em casa, o time vai ter muitas ações de chegada, uma bola parada melhor, terá um gramado onde a bola poderá ser melhor executada. Em casa, vai ter um monte de ferramentas para jogar, não tem que mudar muita coisa porque, em casa, o gramado vai ajudar.
  • Está feliz com os três centroavantes que tem e está trabalhando com os três. O Internacional conta com o Paolo. É importante para ele. Está seguindo o protocolo de recuperação e tão logo esteja disponível, vai jogar. Existe uma relação de respeito, muito boa, o jogador nunca comentou nada.
  • Futebol tem muitos fatores que podem tirar a paz do dia a dia do trabalho no clube. Os jornalistas, empresários, intermediários, dirigentes, torcedores. São muitos fatores externos que podem alterar a paz do dia a dia. O seu trabalho é cuidar para que os jogadores possam estar centrados e fazer sue trabalho melhor possível. Pode ser até um problema em casa que afeta o campo. Ai vem a capacidade do líder, em uma conversa, poder fazer ter consciência do que está passando fora e não deixar entrar dentro.
  • Para ele, Moisés não está gerando nenhum tipo de problema defensivo. Pelo contrário, é um jogador que sustenta bem o jogo, que briga até o final, que tá entendendo perfeitamente como tem que defender, é algo novo para ele. Todos estão enfrentando dificuldades, inclusive o Léo Borges, é uma forma de defender diferente para eles.
  • Ele não gosta de falar com o árbitro durante o jogo, isso lhe tira da partida, é um tempo que não está investindo em ajudar os jogadores. Depois da partida, foi respeitosamente perguntar sobre as decisões da partida e o árbitro respondeu de maneira correta e acabou.
Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque