Entre pro time

Inter

Presidente explica porque Inter não pediu ressarcimento no caso Piffero e quer acelerar o novo Gigantinho

Publicado

em

Reprodução/Twitter

O presidente Marcelo Medeiros foi nos estúdios da Rádio Bandeirantes nesta quinta-feira.

Aqui um resumo de informações que ele passou:

  • Lembrou da declaração do Abel após o jogo contra o Boca, que a única vez que o Inter teve Moledo, Cuesta, Patrick e Edenilson, mais o Abel na beira do campo, foi no jogo contra o Boca. E esse foi, talvez, a melhor partida do Inter no ano.
  • Confirmou que ficou incomodado por não ter dado um título. Vai sair sem uma faixa no peito. Porém, contou que quando terminou a partida contra o Boca, na Bombonera, ficou olhando o estádio e lembrando que seu primeiro jogo tinha sido diante do Londrina, no Paraná, na Série B. E agora tá ganhando no Boca, na Bombonera.
  • Não queria que a política entrasse no vestiário, mas isso entrou em todas as dependências do clube.
  • A eleição do Inter foi de baixo nível. Muito adjetivada e pouca proposta. Acabou com processo contra jornalista, liminar pra concorrer e liminar pra poder votar.
  • Frase do presidente: “O dia que eu tiver que processar o Inter, eu rasgo a minha carteira de sócio”.
  • Na sua visão, Alessandro Barcellos era o candidato mais preparado para assumir o Inter. Motivo? Passou pelo futebol. Seu pai sempre lhe dizia que o presidente precisava conhecer o vestiário antes de assumir a cadeira de presidente.
  • O déficit da temporada será grande, mas menor do que os R$ 100 milhões negativos que chegou a ser projetado. O número é ruim, mas nada que já não tenha acontecido na história do clube. E, como vai entrar dinheiro em fevereiro da cota do Brasileirão, vai aliviar esse impacto.
  • A direção fez tudo que deveria para conseguir fazer a reforma e dar uma finalidade ao Gigantinho. Agora, a única coisa que falta é o Conselho Deliberativo colocar em votação e aprovar. Contou que pretende provocar essa pauta para os próximos dias. Pra quem não sabe, o Inter conseguiu uma parceria muito semelhante a do Beira-Rio com a Opus e a DC7. Eles irão remodelar todo o Gigantinho, pagarão um valor pro clube, mais uma quantia de aluguel e ainda irão modernizar todo o patrimônio. Em troca, irão explorar o local por 20 anos. Só falta o Conselho aprovar. Ele, inclusive, vai enviar um documento pedindo pro Conselho agilizar este processo.
  • Sobre a investigação do Ministério Público na gestão Piffero, o clube consultou dois grandes escritórios de advocacia e ambos disseram que, como não há nenhuma condenação, não tem como cobrar ninguém ainda. Apenas após acabar o processo judicial contra os envolvidos é que o Inter vai poder pedir o ressarcimento. A ideia do jurídico colorado é entrar como um terceiro interessado na acusação e se manter no processo. Mas só quando acabar tudo, e tiver condenação, é que vão poder pedir ressarcimento. Hoje, o MP indica que pelo menos R$ 13 milhões foram desviados, mas esse valor pode aumentar bastante.

Medeiros nos estúdios da Rádio Bandeirantes – Reprodução


Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque