Entre pro time

Inter

Pontos positivos e negativos do empate amargo do Inter contra o Athletico no Beira-Rio

Publicado

em

Ricardo Duarte/Inter

Positivos

  • Moledo mostrou que é titular indiscutível no Inter. Bruno Fuchs vai ser o titular num futuro, mas ainda tem que ser o Moledo. Que baita partida. O melhor do Inter. Moledo e Cuesta é um casamento perfeito ali atrás.
  • D’Alessandro foi longe de ser brilhante. Mas eu gosto muito mais de ver ele jogando pelo centro do gramado. É quase um crime colocá-lo na ponta direita, marcando lateral. Jogando mais pelo meio mesmo, atrás do centroavante, o deixa com mais fôlego para jogar os 90 minutos e com muito mais condições de pifar alguém. Fora isso, ainda quase meteu um gol por cobertura.
  • Lindoso foi bem na marcação e na saída de jogo com qualidade. Só que isso nem é manchete mais, é rotina. A novidade foi marcar um golaço, por cobertura, entrando de surpresa na grande área. Que baita temporada deste cara.
  • Gostei do Nico López no segundo tempo. Entrou ligado, não ficou de beicinho. Vou colocar isso nos pontos positivos, mas não esqueci o gol perdido não. Ele vai estar nos dois lados dessa avaliação.
  • Também achei interessante o Wellington Silva. Ele fez sua parte. Ou pelo menos tentou.

Ricardo Duarte/Inter

Negativos


  • Guerrero foi uma montanha russa. Ao mesmo tempo que ele deu um passe milimétrico pro golaço do Lindoso, errou um pênalti e conseguiu perder um gol após ter driblado o goleiro dos caras. Ajudou a fazer um e perdeu dois. Essa conta prejudica ele.
  • Nico é o segundo grande responsável pelo empate amargo. Se é verdade que ele entrou bem, é também verdade que perdeu um gol que quis dar uma cavadinha. Atacante tem a obrigação de acertar ali. É o que torna o jogador diferenciado diferente dos demais.
  • O Zeca não foi mal a ponto de ser vaiado pelo torcedor como foi. Não que ele tenha feito uma partida brilhante, mas não pra ser vaiado com bola rolando. Cair num lance que tá fazendo a marcação não é crime. Pode acontecer. Tão pegando no pé dele por um vídeo onde o cara estava de folga.
  • Assim como o Zeca, Patrick e Parede não fizeram nada demais. Foram bem protocolares. Médios para baixo. E não foram vaiados. Nem deveriam. Vaiar com bola rolando é muito forte. Mas só contextualizo que foram iguais ao Zeca.
  • Heitor, que conseguiu salvar um gol na última hora atrapalhando a finalização do Rony, foi juvenil ao reclamar e tomar o terceiro amarelo. É inadmissível um jogador profissional levar o terceiro amarelo antes de um clássico. Ele é profissional, não importa que tenha só 18 anos, precisará ser cobrado por isso.
  • Zé Ricardo não faz milagres. Eu nunca pensei isso, mas é importante reforçar aqui. Ele teve erros que o Odair também teve em jogos anteriores. Não tem como achar que seria só mudar o perfil do treinador. Não é. É jogador. Tem que rever alguns pra 2020.
  • Não consigo gravar que o Grêmio chega num melhor momento. Mas é um fato que o Tricolor passou o Inter e já está a um ponto de distância. Ou seja, pelo menos na tabela, o rival chega melhor.

Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque