Entre pro time

Inter

É desse jeito que o Inter vai chegar para encarar o River

Publicado

em

Divulgação
  • Bom, é fato que o resultado precisa ser avaliado e não tem como achar que foi bom o que aconteceu no Beira-Rio. O Inter, mais uma vez, patina em casa, estaciona no meio da tabela e tá brincando até com vaga direta na Libertadores do ano que vem. Se começarem assim, podemos ter um novo 2021, quando pararam de jogar e o máximo que deu foi a vaga na Sul-Americana. 
  • Dito isso, como sempre, há coisas boas e más notícias. No segundo jogo do Coudet, principalmente no primeiro tempo, um novo padrão de jogo, bem definido, apareceu e foi bem mais dominante com a bola. 
  • Não tem nenhum segredo, Jhonny é o volante entre dois zagueiros. Com isso, Bustos e De Pena tabelam na direita, Aránguiz é o motor do time centralizado e com Renê e Wanderson na esquerda. No ataque, Alan Patrick se juntava ao Enner Valencia. Não tem bem um armador, mas joga na troca de passes. Como tá todo mundo meio perto, as trocas de bola vão acontecendo.
  • Ainda no ponto positivo, Coudet disse querer que troquem pelo menos 500 passes por partida. Foram 752 passes, com 88% de aproveitamento. É uma evolução. 
  • É óbvio que isso é pouco, mas eu diria que é a única esperança para o torcedor se apegar. Algo como ter usado o jeito de atuar para entrosar e “treinar” pensando no River. 
  • Até por isso, Enner Valencia, poupado nos treinos, jogou. Para ir entrosando todo o time. Só que ele novamente não conseguiu fazer o seu.
  • Outra, é nítido que o preparo físico ainda é bem abaixo do que a proposta do Coudet pede. Ele joga em alta velocidade, pressionando alto e tudo mais. Pra jogar assim, o preparo físico tem que estar muito alto. E não é o caso. Não tem como melhorar isso até terça.
  • Aconteceu algo bem parecido com o que tinha rolado contra o Bragantino. Aránguiz saiu e o time não joga igual. Bruno Henrique entrou na vaga dele. Tá claro que foi pra pegar ritmo, mas foi a segunda vez que o meio “morre” sem o chileno. Isso que lá, nem achei uma partida espetacular do Aránguiz, mas nas duas vezes ficou sem meio quando ele deixou o gramado. É um ponto a ser olhado.
  • Após a expulsão do Mercado, Coudet não repôs com um zagueiro. Baixou Renê pro setor, tirou o Jhonny de primeiro volante e colocou o Thuan Lara de ponta. Após, suas trocas foram sempre pró ataque. Esse é seu jeito. Ele poderia fechar e negociar o empate. Foi pra frente tentar a vitória. Dessa vez, levou a virada. Como falei, é o jeito do homem. 
  • E vai ser deste jeito que o Inter irá embarcar para a Argentina, pegar o River, campeão argentino, no Monumental com mais de 80 mil torcedores. O jogo do ano. Pra tentar salvar a temporada.
Facebook Comments
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque