Entre pro time

Inter

Advinha quem estragou o time do Inter de novo? E desta vez no Gre-Nal!

Publicado

em

Ricardo Duarte/Inter

  • A derrota, de virada, no Gre-Nal é um duro castigo pra quem não soube matar um jogo tendo 80% de posse de bola no primeiro tempo, pra quem não parece se impor com personalidade em campo na hora de uma decisão e para um treinador que insiste em erros claros como o chamado Marcos Guilherme. Podemos até debater que foi um castigo pesado demais, mas não dá pra fugir das responsabilidades do Inter nesta partida.
  • Não achei a escalação ruim. Nonato foi a novidade e, mesmo não sendo brilhante, é um cara que ocupa muito os espaços, tá em vários lugares, penso que tá meio na cara que o Miguel queria ter dois Edenilson em campo.
  • O jogo começa com o Inter dominando o Grêmio por completo. Miguel adora falar que teve o controle do jogo. E isso até é uma verdade. No entanto, é um time que domina, mas poucas chances de marcar ele produz. É um time que toca tanto e tão devagar a bola que se obrigava a recuar pra chamar a marcação e tentar pegar o rival desajustado.
  • Curiosamente, o gol acontece num lançamento longo do Cuesta pro Edenilson, que cruza pro Galhardo escorar. Vamos combinar que esse tipo de jogada não precisa nenhuma inovação tática ou revolução futebolistica para acontecer. Desde que o Cuesta tá aqui isso ocorre. Até o Pottker fez gol com Cuesta lançando.
  • Só que ai vem o segundo tempo e o time praticamente para de correr. Os caras pareciam exaustos. Olha, eu não quero culpar o preparador físico quando um monte de jogador vai mal e a tática do treinador várias vezes prejudica, mas foi nítido que o Inter amassou no primeiro tempo e não conseguia andar no segundo. Ainda penso que é cedo para colocar a culpa nisso, mas esse jogo mostrou um preparo deficiente.
  • O único suspiro foi depois do empate, quando Caio Vidal, que entrou bem, deu novo fôlego. Obrigou o Brenno a salvar uma com os pés e teve boa chegada na direita. Deu também. Porque não tem como ele jogar sozinho.

Galhardo fez o único gol do Inter – Ricardo Duarte/Inter

  • O problema do time foram os dois pontas. Palacios tá completamente fora dos jogos. Nada que ele tenta dá certo. Parece um guri que subiu do Sub-15 e vê os companheiros jogando sem conseguir tocar na bola. Essa é o Palacios. Ele mal vê o que tá acontecendo porque parece que o jogo tá a 100km/h e ele a 40km/h.
  • Já o Maurício ficou apagadão no canto esquerdo. Sofreu do mesmo que o Patrick tava sofrendo. Fica num cantão, mal tocando na bola. E, quando toca, talvez até por estar sem confiança, parece que não sabe jogar porque teve lance que nem dominar um lançamento longo conseguiu.
  • Dourado, Zé Gabriel e Lomba erraram no primeiro gol gremista. Dourado porque não tinha sentido fazer a falta no Matheus Henrique. Não tem motivos pra puxar o cara como se ninguém fosse ver.
  • Zé Gabriel demonstra claramente que tá longe de ser o zagueiro que os treinadores gostariam. Ele tem só a segunda parte. Só tem a saída de jogo. Não adianta dar uma assistência e levar um gol com o Diego Souza pulando três vezes mais que ele. Não tem como defendê-lo.
  • Lomba é um misto de sentimentos. O Grêmio só não empatou com Matheus Henrique por causa dele que defendeu cara a cara. Só que ele nem pulou no gol do Diego Souza, fez golpe de vista. E teve outras duas saídas que vou te contar. Uma que o juiz marca uma falta que nem aconteceu, porque ele e o Nonato é que se chocam e outra que o Diogo Barbosa quase faz um golaço sem querer. Tá falhando na saída.
  • Agora, eu ainda vou entender um treinador que tá empatando um clássico em casa e coloca Lucas Ribeiro e Marcos Guilherme. Um zagueiro por outro e um atacante em má fase declarada para tentar recuperá-lo. Miguel fez tudo para perder e conseguiu.
  • Conseguiu porque o gol do Ricardinho foi em cima do Lucas Ribeiro marcando e o Marcos Guilherme conseguiu afastar uma bola que era só ele empurrar pra rede, sem goleiro. Como colocar um atacante no clássico pra ele tentar recuperar a boa fase. Poxa vida. Isso é indefensável. Miguel errou e errou grosso. A derrota é muito por ele sim.
  • Eu não sei o que tem que fazer, mas é um crime o Yuri ser reserva. O Galhardo tá bem, mas tem que mudar o esquema pra dois centroavantes então. Yuri Alberto não pode ser reserva. Isso é crime.
  • Por tudo isso, não tem nem o que reclamar de ter perdido. O Inter tinha um jogo e entregou pro rival no segundo tempo. O treinador e a lentidão/cansaço do time fizeram isso.

Caio Vidal melhorou o time no segundo tempo, mas não resolveu sozinho – Ricardo Duarte/Inter

Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque