Entre pro time

Grêmio

Grêmio foi humilhado pelo Flamengo porque Felipão ajudou e os jogadores são fracos até psicologicamente

Publicado

em

Reprodução

  • Todo mundo sabia que a tendência era perder. Não tinha muito o que debater neste ponto. O problema é fazer o primeiro tempo que fez e entregar tudo no segundo tempo, mesmo tendo um jogador a mais em campo.
  • Uma derrota cruel e com toda humilhação que poderia existir. Teve até gol do Rodinei. Tomar quatro em casa e saber que vai ficar quase um mês esperando o jogo da volta apenas pra cumprir tabela, sendo que o jogo é do dia do aniversário de 118 anos do clube, é amargo demais.
  • O primeiro tempo iludiu todo mundo. Felipão acertou na estratégia, teve a posse de bola, não deixou o Flamengo jogar e merecia até a vitória na primeira etapa. Alisson perdeu uma que chutou de bico e o Ferreira poderia ter feito no último lance, num cruzamento do Rafinha. Era pra ter terminado 2 x 0 Grêmio na primeira etapa.
  • Matias Villasanti parecia ter estreado, deu consistência no meio e todo o time parecia uma rotação a mais que o adversário. Só que ai tem que ter jogador que saiba finalizar pro gol. Não teve isso.

Douglas Costa saiu com lesão muscular e tá fora por um tempo – Lucas Uebel/Grêmio

  • E ai vem o mais inacreditável. O segundo tempo escancarou um time que não tem força mental, que não tem capacidade psicológica para se manter focado 90 minutos. Um time deste jeito não pode entrar em campo. Esse é o primeiro ponto a ser debatido. Nem vou falar de um jogador apenas. Como grupo, como elenco, os caras não tem psicológico pra uma decisão. Aliás, não estão tendo pra jogar um Brasileiro, imagina um mata-mata.
  • Depois, o segundo grande culpado é Felipão. Ele acabou tudo no segundo tempo. Em 10 minutos, dava pra ver que o Renato dominou o time. Recuou o Fla, ganhou o meio e envolveu completamente o Scolari saindo em bloco pro ataque. O Grêmio teve muito mais posse de bola, mas eles chamavam pro campo deles pra ganhar no contra-ataque. E os caras morderam a isca completamente.
  • O primeiro gol foi um azar, a bola bate no Rafinha e mata o Chapecó. Porém, já estava na cara que o gol sairia a qualquer momento. Só eles jogavam. Ia sair de qualquer jeito.
  • E sabe o que fez Felipão? Abriu o time! Tirou Lucas Silva e meteu o Campaz. Conseguiu tirar Tiago Santos e meteu o Diego Souza. Desmontou toda a equipe. É pedir pra levar. Os caras são os melhores da América, tu tá na zona rebaixamento e o treinador vai de peito aberto deixando o contra-ataque. Felipão foi o responsável pela goleada. A derrota viria, mas a humilhação vai na conta dele.
  • A direção não pode escapar. Quem renova com Luiz Fernando, aposta no Ferreira como solução e demora anos pra conseguir um meia armador e só consegue fazer a estreia dele na decisão, vai pagar caro por isso. Outra, dizer que não precisa de zagueiro e que não precisa de lateral-esquerdo é subestimar a inteligência do torcedor. Todo mundo sabe que precisava.
  • Ferreira errou quase todas as jogadas que tentou. Quer dizer, errou todas as jogadas. Até agora, seu único feito foi ser craque do Gauchão. Não é corneta, é informação. Quem é mais notícia fora do campo, tá na cara que tem algo errado. Ele tá fazendo tudo errado na vida. Difícil dar certo em campo. A bola pune, parceiro. Puniu ele também.
  • Vanderson foi o cenário do quanto o time estava sem cabeça. Sendo bem direto, já era pra ter sido expulso no primeiro tempo. Deixou o pé no adversário. Erro grosso ali. Após, não jogou e não soube perder com dignidade. Saiu batendo em colega de profissão. Vermelho merecido. Não é só ele, mas o Vanderson foi o retrato da falta de inteligência emocional que esse elenco tá mostrando.
  • Vamos ser sinceros, assim como seria injusto ter ganho a Copa do Brasil do Palmeiras no ano passado, seria injusto passar pelo Flamengo neste momento. O clube como um todo não merecia isso. O elenco é inferior, o trabalho do técnico é pior, a direção faz uma gestão muito pior que a dos cariocas. Futebol não é um esporte lógico, mas tem uma tendência. O Grêmio não merecia passar. E não vai. Só poderia não ter sido humilhado por respeito ao seu torcedor.

Borja fez uma jogada, que foi pifar o Alisson, mas não tocou na bola no segundo tempo – Lucas Uebel/Grêmio

Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque