Entre pro time

Grêmio

Começo a ter sérias preocupações com o futuro do Grêmio após o jogo contra o América-MG

Publicado

em

Lucas Uebel/Grêmio

  • A real é que a situação do Grêmio tá inexplicável. Não tem uma linha lógica pra dizer o que acontece. Não conseguir vencer o América, em casa, é duro de justificar. Olha, eu custei a dar o braço a torcer, mas estamos chegando no final do primeiro turno e a verdade é que o Grêmio vai lutar pra não cair e deu. Não há mais nada a fazer no Brasileirão além disso.
  • Insisto que tem muita coisa pela frente, ainda não chegou na hora do desespero, porém, claro, que é preciso ligar o alerta e achar um jeito de sair disso.
  • Felipão tá, claramente, tentando achar uma maneira de jogar. Como não tem dado nada muito certo, vai trocando. Desta vez, começou com três zagueiros, com Vanderson e Guilherme Guedes de alas. É uma tentativa que muitos torcedores já queriam. Eu só não sei se vale usar esse time com Douglas Costa pelo centro e não Jean Pyerre.

Tá na hora do Ricardinho começar a aproveitar a chance que o futebol lhe deu – Lucas Uebel/Grêmio

  • O melhor em campo nem precisa dizer, né? Foi Vanderson. O time chegou a ser capenga porque só jogava no lado dele. Esse é um problema, mas é também uma constatação de que as melhores jogadas saiam por ele. Então, naturalmente, as coisas aconteciam ali. Imagino que os três zagueiros favoreceram seu jogo.
  • Guilherme Guedes foi o segundo melhor. Não só pelo gol, mas também pela bola pifada ou melhor, rolada, pro Alisson marcar. Ainda teve uma assistência pro Ricardinho desperdiçar. Em três lances, o cara fez mais que os outros laterais. Não tem como saber se vai ser o melhor lateral da história, mas já tinha passado da hora de pelo menos dar a chance dele. Espero que, pelo menos tenha sequência.
  • O gol do América acontece por falha da zaga. Mais especificamente, do Ruan, que tinha tudo pra cortar e não conseguiu. Paulo Miranda era o da sobra, mas estava distante. Com certeza, o Ruan tinha que ter cortado, mas dá um carrinho e prensa a bola nas pernas do rival. O Paulo Miranda tem menos culpa, mas poderia ter salvado. É ai que um cara diferenciado faria a diferença.
  • Depois, foi um show de gol perdido. Não tem como defender o Alisson, que chuta na travessão uma bola que finalizou na pequena área.
  • O Ricardinho perdeu duas na grande área. Uma delas, recebeu entre os zagueiros do Darlan. Era só limpar o goleiro. Pois ele conseguiu parar no Matheus Cavichioli. Infelizmente, tá desperdiçando a chance de ouro que teve com a lesão do Churín e a lentidão da direção em contratar outro camisa 9. Óbvio que pode ser fase, mas a chance de ser o cara neste momento não tá acontecendo.
  • E aqui chegamos em uma situação fundamental que pouco se está notando. O Grêmio tá jogando pra caramba com a base. Se a gente contar o Ricardinho, que entrou cedo em campo, são sete jogadores da base. E olha que nem tô colocando o Rodrigues nesta conta, porque não é mais um guri.
  • Mas eu peço pra gente analisar o detalhe disso. Não é usar a base porque confia, porque são bons, porque foram maturados. O Grêmio foi indo por quem é menos pior. É só olhar que o Guedes não estava nem concentrando e apareceu como solução. O Fernando Henrique chegou a descer pra jogar no time B há bem pouco tempo. Queriam goleiro, lembra? Ou seja, não é algo pensado, planejado, a grande verdade é que os outros foram dando errado e agora sobrou pros que estão ai.
  • A chance disso dar certo era quase nula. Até agora, não deu nada certo.

Achei Douglas Costa bem normal, perto do que espero dele em campo – Lucas Uebel/Grêmio

Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque