Entre pro time

Inter

O volante ideal do Miguel, os números na Arena que incomodam, mais o sentimento do torcedor!

Publicado

em

Reprodução

Resumo da coletiva do Miguel:

  • Pensa que só faltou o gol. Neste tipo de jogo, com o adversário retrancado, tem que marcar o gol logo cedo, se não, complica.
  • Pediu paciência da torcida com o Palácios. É um garoto que chegou em outro país, outra língua, outro futebol. Usou essa palavra: paciência.
  • Não tem uma equipe titular ainda. Como ele quer dar o maior número de minutos para todos no Gauchão e pensa que a única maneira de colocar jovens como o Lucas Ramos em campo é fazendo ele jogar cercado de experientes como Edenilson, Yuri, Galhardo, enfim, quem vai dar suporte a ele.
  • Garantiu que não espera nenhuma contratação, trabalha com o que tem. A direção é quem toca os reforços. Logicamente que ele comunica o clube, dá sua opinião, mas é a direção quem define os reforços.
  • Frase dele que indica muito sobre como serão as escalações do Inter em 2021: “eu penso o 11 ideal a cada jogo”. Sua escalação vai ser sempre pensando o que a partida pede. Qual tipo de zagueiro, de volante, de meia ou atacante o jogo pede que se jogue.
  • O seu primeiro volante, seu camisa cinco, precisa ter bom jogo aéreo, saber fazer a leitura do jogo, ter um bom passe e decidir rápido o que fazer na jogada.
  • Os jogadores estão entendendo muito bem a importância da eliminação dos rivais através de superioridade ou numérica ou posicional. E, neste jogo, conseguiram jogar mesmo tendo pouco espaço. Mesmo assim, tiveram boas chances.
  • Por conta própria, disse saber que os números do Inter na Arena não são favoráveis ao Inter e isso lhe motiva mais, lhe faz pensar: “vamos que temos que ganhar”.
  • Depois, contou que vive em Porto Alegre e sente o sentimento do torcedor. Que tem por habito quando anda de carro ficar olhando quem está com a camisa do Inter ou do Grêmio na rua. Pediu para não ser polêmico, mas garantiu que vê muito mais colorados e esse tipo de coisa lhe faz dar conta do bonito que é a rivalidade.
  • Explicou que Edenilson não terminou o jogo como o primeiro volante, o que aconteceu foi que ele eliminou o primeiro volante porque não era necessário, já que o Inter só atacava. Essa é uma alternativa de jogo, tirar o marcador e ganhar um meia ou atacante.
Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque