Entre pro time

Grêmio

Renato se explica sobre “cavalo paraguaio” e critica até pênalti marcado para o Inter

Publicado

em

Reprodução

  • Na sua visão, o Thiago Neves tem muito a dar ainda, mas todas as oportunidades do time foram dos pés dele. Aqui no sul, quando a imprensa acha que o jogador não rende, ela começa a massacrar o jogador. Foi assim com o André também
  • O Grêmio está cruzando mais bolas na área porque tem um grande cabeceador. (no jogo contra o Sport, foram 55 cruzamentos tentados e 41 foram errados).
  • Renato não concorda que falta repertório no seu time. Disse que eles criaram 31 oportunidades de gol contra o Sport. E isso não é falta de repertório. Chegou a ficar incomodado com o repórter que perguntou sobre o pior ataque.
  • Mais, pensa que o seu time fez um grande segundo tempo. Pensa também que, se o Grêmio tivesse virado o jogo, todos estariam aplaudindo.
  • Concorda que seu time oscilou no jogo contra o Sport, mas foi pontual. Só neste jogo. Em todos os outros, foi superior.
  • Renato garantiu que a expressão cavalo paraguaio não foi para o Internacional. Ele viu a declaração do Patrick, mas garantiu que não foi pro Inter. A declaração é pra times que todo o ano arrancam bem e não chegam. O seu time é quem chega. Jurou que o Grêmio vai chegar.
  • Perguntado sobre o VAR, falou que o pênalti marcado para o Internacional não era pênalti. A orientação que a CBF passou no começo do Brasileirão é que, quando bate no corpo e bate na mão, não pode marcar. Quer que a CBF se manifeste dizendo se aquilo é ou não pênalti. Não pode cada partida ter uma regra. Quer também que o arbitro do jogo seja obrigado a ir ver a imagem. Ele é quem decide e não o VAR.
Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque