Entre pro time

Inter

QUE BAITA JOGO FLUMINENSE E INTER FIZERAM EM UMA SEMIFINAL DE LIBERTADORES

Publicado

em

Reprodução
  • Foi um jogaço. Digno de semifinal. Poderiam jogar até a madrugada que valeria a pena ficar vendo. Independente de qualquer coisa, é preciso começar dizendo que Fluminense e Inter entregaram muita coisa nesta noite.
  • Depois, mesmo que possa ficar algum tipo de decepção pelo empate, foi um baita de um resultado. É claro, como tava vencendo e tomou um gol quando tava com um a mais, fica aquela sensação que daria pra sair com a vitória. Só que, gente, tinha quase 70 mil almas no Maracanã, em semifinal de Libertadores. Qualquer um que olhar com calma, vai ver que é um resultado muito, muito bom.
  • Enner Valencia foi o melhor jogador em campo vestindo branco, usando as cores do Inter. E, não, ele não marcou gol, mas foi protagonista em todos os melhores momentos. É só ver que ele faz o pivô no gol que o Hugo Mallo, de cabeça. É ele quem escora pro Renê cruzar. Depois, ainda consegue a expulsão do Samuel Xavier e, por fim, faz um corta luz no golaço do Alan Patrick. Enner foi perto do incrível nesta noite. E digo perto porque teve um lance apenas que errou. Naquele que o Felipe Melo tropeçou na bola e ele, ao invés de finalizar dali, recuou pro Alan. Errou. De resto, perto da perfeição.
  • Ainda nos pontos positivos, Rochet salvou mais uma vez. Que baita goleiro. Tá repetitivo, eu sei, só que o cara repete as atuações e precisamos dizer. Outro jogo que ele pega uma cara a cara. 
  • Hugo Mallo entra no nosso pódio dos melhores em campo. Fez um gol aparecendo de surpresa no ataque e cruzou para o que seria o gol do Mercado. Gol esse que foi anulado pela bola escorregar na mão do zagueiro argentino. Não pode. Agora, o Mallo fez a parte dele. Justificou a escalação.
  • Mas nem todo mundo foi bem. O Renê entregou dois lances que geraram os gols. No primeiro, perdeu a bola pro Arias puxar o ataque. Depois, também se atrapalhou com a bola e teve que tocar pra escanteio. No escanteio, gol do Cano. Futebol é tão maluco que o jogador mais regular do elenco teve a pior atuação da temporada nesta noite. Que coisa maluca.

Ricardo Duarte/Inter

  • Algumas considerações gerais sobre a partida. Como esse Flu gosta de trocar passes rápidos, né? Tinha momentos que o Inter parecia melhor, dominava, tinha um a mais e, do nada, os caras saiam e tum, tum, tum, tavam no ataque.
  • Outra, o Inter fez o segundo gol porque o Wanderson pressionou uma saída de bola no ataque. Isso é a cara dos times do Coudet. Muito mérito dele.
  • Aliás, os dois técnicos proporcionam espetáculo. Não dá pra viver sossegado com eles. É emoção o tempo todo. Merecem estar em semifinal de Libertadores.
  • Só um asterisco aqui é que Coudet tirou Aránguiz pra colocar o Bruno Henrique, minutos depois sacou Maurício e Alan Patrick, metendo o Dalbert adiantado e o Lucca no ataque. Ficou estranho. O Alan tinha feito o gol e o Aránguiz nem preciso dizer. Talvez tenha preservado ambos por estarem pendurados e tal, mas não dá pra arriscar em semifinal e no Maracanã. Não ficou legal.
  • Então, eu sei que fica o sentimento que dava até pra voltar com os dois pés na final. Agora, não acredito que seja algo ruim. Bem pelo contrário. Tá tudo muito aberto. Mas se o Flu tivesse vencido no Maraca ninguém diria que era uma tragédia. Então, se empatou, é muito bom sim. Muito mesmo.

Ricardo Duarte/Inter

Facebook Comments
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque