Entre pro time

Inter

As muitas coisas erradas que o Inter de Abel está fazendo

Publicado

em

Ricardo Duarte/Inter

  • O Inter conseguiu perder para o terceiro time do Santos. Uma equipe que não tinha seis titulares e mais vários reservas. Nem Cuca e seu auxiliar principal, o Cuquinha, estavam na beira do gramado. Ao todo, são 15 desfalques deles. E o Inter sequer jogou bem contra essa equipe. Foi realmente preocupante o futebol apresentado. Parecia que os de vermelho estavam em câmera lenta.
  • O primeiro gol do Santos acontece após uma falta desnecessária do Rodinei no lado da área. Pra ajudar, o Ivonei bate a meia altura, o Lomba falha muito feio, parece não ter visto a bola no meio do tumulto, mas a real é que quando a bola chegou o Lomba estava dentro do gol e mal viu ela entrar. Foi uma falha sua. Dava pra defender.
  • O segundo gol é inacreditável. O Inter estava com escanteio a sua favor, a zaga santista tira, o Rodinei pega na intermediaria, tenta recuar de cabeça, fraco, para o Zé Gabriel, e ai tá feio o estrago. Zé não consegue estourar ela, o Marinho rouba, leva pro ataque, o Lomba ainda faz a primeira defesa, mas no final o Kaio Jorge estava sozinho pra cabecear. 2 x 0 em duas falhas do Rodinei.
  • Ou seja, o Inter perde dois duas falhas do Rodinei e mais uma do Lomba. Perceba, o Inter perdeu por conta deles. Mas é preciso ter noção que o máximo que conseguiria era um empate. Com o que jogou, era quase impossível vencer essa partida.
  • Abel errou. Ele perdeu o Edenilson, com lesão no joelho numa pancada que levou, e o Abelão meteu o Lindoso. Ficou Dourado e Lindoso. Mesmo erro do Coudet. Dois volantes iguais, sem saída de jogo. O time não andou. Travou. Parecia óbvio, mas o Abel não fez nada.

Abel colocou Lindoso na do Edenilson e travou o time – Ricardo Duarte/Inter

  • Fora isso, Marcos Guilherme estava simplesmente perdido em campo. Eu não gosto de usar essa expressão, mas a sensação que a gente tinha vendo a partida é que ele não sabia se ia pro meio, pra ponta, se jogava na direita ou na esquerda. Foi uma partida terrível dele.
  • Maurício fez sua estreia. Tentou jogar, não dá pra dizer que ele se escondeu ou que deixou de aparecer, porém, não fez nada brilhante. Pelo contrário, diria que quase 100% das suas tentativas foram falhas. Óbvio que não tem como ser definitivo, mas sua estreia foi sem empolgar.
  • Galhardo e Abel foram muito abaixo. Galhardo teve duas chances de cabeça e cabeceou mal. Recebeu uma na pequena área e ao invés de chutar, tentou dar de calcanhar pro Uendel. Errou. Já o Abel não teve quase nenhum lance de destaque. A bola que recebeu do Uendel na esquerda, perdeu chutando no peito do goleiro. Surreal.
  • Gostei do Uendel. Foi muitas vezes pro ataque, fechando pelo meio como um bom apoiador.
  • O melhor em campo pelo Inter foi Dourado. Correu muito, marcou como sempre, desarmou e saiu pro jogo ao seu estilo. Deu demonstração que está de volta. Foi o capitão. Acho que não sai mais. Diria que ele e o Uendel foram os únicos que jogaram bem mesmo. De resto, nada.
  • D’Alessandro, Praxedes, Yuri Alberto e Leandro Fernández entraram na partida e quase nem deu pra vê-los em campo. Nenhuma alteração sequer melhorou o time.
  • Como disse no começo, é preocupante…

Rodrigo Dourado foi um dos poucos de jogou bem na Vila Belmiro – Ricardo Duarte/Inter

Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque