Entre pro time

Grêmio

Ricardinho voltou como melhor e Darlan provou que não merecia ser “arquivado”

Publicado

em

Lucas Uebel/Grêmio

  • Eu sei que você que tá lendo vai ficar incomodado, mas embora vencer seja muito bacana pro moral, pra tentar embalar e até pra classificar na Copa, a realidade é que esse jogo não pode iludir. Olha, não consigo entender como o Inter perdeu pra esse atual time do Vitória. Na boa, não é nem parâmetro pra quem pega o Bragantino, como o Grêmio vai pegar no sábado.
  • Dito isso, ok, o Felipão não tem nada com isso. Colocou reservas e ainda ganhou com sobras.
  • Usou um time num 4-2-3-1 novamente. O sistema com três zagueiros foi uma estratégia pontual pro jogo contra o América, não vai se manter.
  • Ricardinho marcou um gol e deu a assistência para o segundo. Voltou a ser o centroavante dos primeiros jogos. Teve até sorte no primeiro gol, de escorregar e ainda assim conseguiu sobrar uma bola pra ele. Algo típico dos jogos quando ele subiu, da bola procurar seu pé. Sem dúvidas, o melhor em campo.
  • Léo Pereira fez o gol do 2 x 0. Volto a dizer que ele sempre participa de lances importantes.
  • Mas o gol dele só acontece porque o Darlan foi malandro e roubou uma bola de cabeça. Sim, de cabeça. Mesmo sendo baixo, se aproveitou de uma saída tocando bola na frente da grande área dos caras. Fora isso, deu 86 toques na bola com mais de 90% de acertos. Não tem como entender como vez por outra o Darlan é “arquivado”.

Darlan foi muito bem no meio-campo gremista – Lucas Uebel/Grêmio

  • Lucas Silva também merece uma boa lembrança. Ele é protagonista no lance do Ricardinho e teve sua melhor atuação da temporada.
  • Agora, temos que falar do 3 x 0. Olha, ele acontece num contra-ataque puxado pelo Alisson, uma ida na linha de fundo do Luiz Fernando, que cruza na medida pro Diogo Barbosa completar pra rede. Um gol dos mais contestados por torcida e imprensa. E eu nem acho injusta as criticas, porém, desta vez, deu certo.
  • Aliás, o Felipão conseguiu fazer dar certo a sua alteração. Afinal, Scolari tinha tirado Ricardinho e pra meter o Diogo Barbosa. Sim, tirou o centroavante e meteu o ala. Só que o Diogo não foi nem lateral e sim ponta-esquerda. O Cortez se manteve em campo. Por incrível que pareça, deu certo por conta deste lance.
  • Bom, pra fechar, reafirmo que tem que comemorar a vitória sobre o Vitória. Porém, só não esqueçam que o time é abaixo do que se irá enfrentar no sábado, pelo Brasileiro. É preciso ser realista.
  • Ah, só mais uma, o VAR demorou oito minutos pra confirmar o gol do Ricardinho. Não existe isso. Olha que eu sou a favor de uma demora em nome do acerto. Não sou dos que querem tudo em 30 segundos. Não vejo problema em alguns minutos. Porém, oito minutos passa dos limites, né? Isso é quase 20% de um tempo de jogo.

Lucas Silva fez sua melhor partida da temporada – Lucas Uebel/Grêmio

Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque