Entre pro time

Grêmio

Preconceito com estrangeiros, Software da SAP, MP do Bolsonaro e três reforços tentados pelo Grêmio

Publicado

em

Reprodução

Mais informações passadas pelo presidente Romildo na Grêmio TV:

  • Não tem nenhum problema com jogadores estrangeiros. Se ele for bom, não há porquê não contratar. O Grêmio tem dois jogadores estrangeiros no elenco, Kannemann e Orejuela. A única coisa que ele não faz, é contratar jogadores que a comissão técnica não quer. Porque aí é sem sentido. Não tem como trazer alguém que o treinador não quer usar.
  • O clube segue usando o sistema SAP, que foi tão falado na época da implantação. Não só para contratações, mas ele é usado em toda a gestão do clube. É tudo integrado, coisas como controle de compras, gastos, enfim, tudo que é preciso.
  • A “lei do mandante” foi apenas para beneficiar o Flamengo. Pra quem está com contrato até 2024, foi um arrombo, uma coisa de republiqueta de banana. Atendeu uma questão que não era de todos os clubes, não foi debatido. O Grêmio vai respeitar os contratos já assinados até 2024.
  • O Grêmio tentou o Cuellar, mas ele resolveu ficar por lá.
  • Pity Martínez foi avaliado, mas o preço era impossível de pagar e eles nem tentaram por isso.
  • Callery estava na lista desde quando ele jogava na argentina e veio para o São Paulo, mas não teve a mínima condição de andar.
  • A ideia do Grêmio é fazer uma conversa com o Cruzeiro para comprar o Orejuela. Tem até o final de dezembro para fazer isso.
  • Pensa que pedir contratações e contratações é muito simplista. Até porque o Grêmio contratou, mas não peçam para fazer loucuras. Não vai fazer situações fora da capacidade de pagamento.
  • A saída do Diego Rosa foi muito mais pela vontade dele, da sua família, das condições contratuais que ele tinha no City. Pela Grêmio, ele ficaria. Falou em fazer o que foi possível para salvar este negócio.

Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque