Entre pro time

Grêmio

Mancini contou porque vai fazer outras alterações no time titular do Grêmio

Publicado

em

Reprodução

Resumo da coletiva do Mancini:

  • Faltam 8 jogos e não vai dar pra ter a mesma equipe nestas 8 partidas. Isso acaba sendo bom porque os jogadores estarão descansados e vai dar pra exigir um pouco mais, não vai ter desgaste no final de temporada. Outro ganho é que o time não se torna previsível para o adversário.
  • Quando um técnico escolhe 11 atletas, gera desmobilização dos outros 20. E não pode acontecer, todos tem que dar a mão neste momento. O Grêmio vai jogar a cada 72h. É importante que tenha fôlego.
  • Em cada jogo, vai montar uma estratégia para aquele jogo.
  • Diego Souza foi titular porque queria uma equipe mais alta porque o Fluminense tem baixa estatura e tem dificuldade no jogo áereo.
  • Optou por segurar Ferreira e o Douglas para ter opção no banco pro segundo tempo e segurar eles. Contou que conversou com ambos para explicar isso, que o Douglas Costa não teve a preparação adequada para jogar tantos jogos seguidos.
  • Rafinha foi pro banco porque vinha de uma sequência de jogos e, por isso, o Vanderson entrou.
  • Elias entrou porque é acostumado a fazer gols. Entra mais na área. O próprio Campaz também faz isso. Em alguns momentos, o Grêmio tinha quatro ou até cinco jogadores na grande área, o que era uma dificuldade antes.
  • O placar mais justo não era 1 x 0, mas entende que a ansiedade do momento acaba prejudicando na finalização.
  • Sarará iria sair antes do gol acontecer porque ele mesmo avisou que estava puxando as panturrilhas, com câimbras, mas curiosamente fez a jogada do gol e ficou um pouco mais na partida. Aliás, Sarará foi titular pra dar cobertura pro Vanderson subir.
  • Detalhe que o Mancini admitiu que isso não aconteceu tanto porque o Diogo Barbosa se destacou subindo muito bem pro ataque.
  • Hoje, vê muito mais envolvimento dos jogadores. A comunicação dele com os atletas melhorou muito. Na beira do campo, consegue ouvir como os jogadores estão se comunicando bem dentro do campo. E isso acontece no dia a dia do CT. Acredita que esse pode ser o grande trunfo.
  • Ele se questiona porque o time estava em evolução, mas os resultados não estava acontecendo. Todos os dados apontavam evoluções, inclusive os níveis físicos. Só que futebol não é só evolução. Evolução não significa vitória, mas significa que tá no caminho certo.
  • Jogar bem dá a oportunidade de sonhar com vitórias em sequências. É isso que ele sonha no momento.
  • Contra Palmeiras, Atlético e Inter, o time assimilou muito bem as ideias. E isso fez eles melhorarem como equipe. Não ganhou, mas foi mas teve evolução.
  • Não tem uma equipe ideal, mas pensa que o jogo contra o Fluminense mostrou que ele tem pelo menos 17 jogadores em condições de atuar.
Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque