Entre pro time

Grêmio

Como foi o Grêmio no Gre-Nal da Arena pelo Brasileirão

Publicado

em

Lucas Uebel/Grêmio

  • Na tabela, o resultado do Gre-Nal foi trágico para o Grêmio. E olha que eu nem tô falando de título porque não acredito mais que o Grêmio vai brigar por isso há tempos. Falo em vaga para a Libertadores. O campeonato tá passando e, neste momento, o G4 está a pelo menos cinco pontos de distância, podendo ficar mais longe no final da rodada.
  • É impactante dizer isso, mas a rodada pode meter o Grêmio no Z4. Todos sabemos que essa não é a realidade gremista. Ninguém imagina uma briga pra não cair. Mas é pra mostrar o quanto o time não tá nem perto de brigar por G4 sequer.
  • Só que, claro, é o sexto Gre-Nal do ano, com quatro vitórias do Grêmio e dois empates. Fora isso, é o 11 primeiro clássico consecutivo sem perder.
  • Na bola, Cortez foi pior em campo pelo Grêmio. Conseguiu ceder o empate num primeiro momento e acabar com a chance de vitória num segundo momento. Primeiro porque coloca a mão na bola e dá o pênalti pro Inter. Depois, comete falta, leva o segundo amarelo e vai expulso. A expulsão tirou a chance de vitória. A culpa é dele.
  • Renato entrou com três volantes porque era o que tinha pra fazer. Não tem muitas alternativas no momento. Não tem como criticá-lo por isso. Fez um 4-1-4-1 e pronto. Ainda penso que não é o esquema que ele quer pro futuro, mas hoje é o que dá pra fazer.
  • Na verdade, se eu pudesse, queria entender dois pontos: por que o time passou a sair trocando passes perigosamente desde o goleiro e por que tantos escanteios curtos. Duas coisas que não entendi.

Diego Souza não marcou, mas participou da jogada do gol pelo menos – Lucas Uebel/Grêmio

  • Mas o Grêmio pagou R$ 10 milhões (vai subir pra R$ 20 milhões até 2022) pelo Diogo Barbosa. E o cara só fica no banco. Entra lateral e saí lateral e o Cortez é titular do time. Não tem como entender.
  • E também é um baita problema tu precisar vencer um clássico e ter Luiz Fernando, Robinho e Guilherme Azevedo como solução. Não são estes os caras que vão mudar um jogo importante. Tá errado. Tá na cara. Nem tem como culpar o Renato porque isso não é culpa dele. É do elenco.
  • Pepê foi um dos poucos que se salvou. Não fez uma partidaça, mas é o segundo Gre-Nal que faz o dele. Meteu pra rede. Cada dia mais decisivo. Cada dia mais perto de ser o que o Everton era.
  • Alisson e Orejuela tiveram atuações boas, assim como os dois zagueiros. Paulo Miranda e David Braz. Todos fizeram seu jogo.
  • Lucas Silva é titular, Darlan ficou abaixo e Matheus Henrique jogou bem melhor do que vinha jogando. Mas ele ainda não é o centro do time como já foi. Deu menos de 50 toques na bola. Muito longe daqueles meias que mandam no time, com 100 toques em um jogo. Algo tipo Arthur. Mas foi bem, insisto.

Matheus Henrique fez uma partida bem melhor do que vinha fazendo – Lucas Uebel/Grêmio

Facebook Comments

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Destaque